domingo, 8 de novembro de 2009

Térreo

Olhe só como ele anda rápido
mas o cabelo bagunçado, rosto centrado
não explica seus quase 30 embalado

A moça de salto alto e silueta pequena
o nota, e ri para o nada.
Ele, olhos cansados,
solta uma piada

Ele pára,
Ela anda.
Ele fala,
Ela cora.
O moço azul,
A moça vermelha.

Ele, um dia já foi seu herói invisível.
Ela, que já esteve toda sensível,
não percebe o moço vermelho ao lado
fazendo graça com o imprevisível.

Um comentário:

Verônica Moschiar disse...

Pois é as vezes estamos tão obsecadas com o que... Ou quem queremos que nem notamos o que está por vir.
Boa sorte moça vermelha;*