quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A vida em cores

Depois de uma noite preta de tão rock,
lá estava ela
ouvindo uma conversa amarela
naquele sábado azul.

A moça não viu quando ele chegou
todo verde-esperança
carregando flores rosas...

Mas tão rosas que a menina rubra
prestou atenção naqueles olhos marrons.

Naquele momento entendeu que
melhor que ter um herói invisível
é poder ter um que a veja de verdade
carne e osso, perfumes e toques, sons e cores.

Aliás, todas as cores.

O menino vermelho sorriu.
A menina vermelha também.

2 comentários:

Miss Poulain disse...

Gostei de ler! =D

Carol Gonçalves disse...

Adorei a poesia. Verdadeira, linda e feliz! Como vc merece sempre estar! Parabéns!Bjsss