quinta-feira, 23 de julho de 2009

Meninos, eu vi!



Vocês pararam pra pensar que a nossa geração ( e estou falando aos meus contemporâneos, nascidos na década de 70 e bem no início de 80) teve sorte em conhecer ainda vivos lendas saculejadas da música em seu ápice?
Olha só esses 5, por exemplo:


- Freddie Mercury
O bigode era macho - até debaixo de outro macho
Eu era uma pirralha na época do primeiro Rock in Rio. Mas me lembro do reboliço quando o Queen chegou por aqui: " Love of my life" ao vivo tocava exaustivamente. Ah... me lembro do radinho de pilha da minha mãe...
Ainda hoje, quando ouço "The show must go on" dá aquele arrepio na espinha em lembrar que o caboclo tava lutando contra o vírus que o matou... louco isso, né?
Nosso pit-bicha predileto ria na cara do perigo, com aquela indefectível calça branca em Wembley cantando "I want to break free". Como não gostar dele?


- Michael Jackson
Preto no branco
Depois que o cara foi pro saco, muita gente falou dele nesses dias. Mas o fato é que, só quem viveu os anos 80 como nós pode lembrar bem como era legal ligar a tv e ver o cara fazendo moonwalker e curtir Thriller quando era um lançamento. Era bacana ouvir os mais velhos exclamando: "Cê vê, Neide - Esse menino deu uma esticada, né? - Lembra que ele parecia o Buiú, de tão cotoco há apenas uns anos?"

- Cazuza e Renato Russo
Geração Coca-cola
Eu não sei sambar, não curto batuque e sempre me senti à margem da sociedade brasileira por não curtir tanto coisas digamos... folclóricas. Mas uma coisa que a gente pode se orgulhar é dos 2 acima citados. Foram irreverentes, letristas fabulosos e carismáticos pacas. E eu acho que o Renato Russo poderia ter sido aquele amigão que pinta em casa à noite e vê Bridget Jones com a gente, tomando sorvete de chocolate.

- Joey Ramone
E os tempos do punk moleque
Eu morria de medo do filme O Cemitério Maldito, mas confesso que a batida de "Pet Sematary" me fez engolir o choro.
Os Ramones eram genais de tão simples. É aquilo ali e ponto: "Somebody put something in my drink", "I wanna be sedaded"(abaixo)... Mas tem até uma coisa mais elaborada para gostos mais exigentes, como "Poison Heart", por que não?
Que falta essa cabeleira faz.
Adorava aquela cara de "to cagando e andando pra vcs" dele

5 comentários:

Tiagão disse...

Todos são ícones. Felizmente também tive a chance de conhecer e gostar da obra deles em vida, não fui em nenhum show de nenhum, mas tive a sorte pelo menos de escutar as histórias de quem foi como uma amiga que em um show do Legião conseguiu dar um beijo na boca do Renato Russo. Hj já vi e pretendo ver muita gente que faz um som importante pra mim!!!
Parabéns Vivi esse texto está divertidíssimo!!!

Fabricio disse...

Eu ainda acho que era novo demais pra "curtir" estes ilustres nos anos 80. Eu os curti muito nos anos 90, todos ainda vivos (ou quase) e me orgulho muito disso.. especialmente Renato Russo e sua Legião. =)

Karlota disse...

Sem dúvida deixaram saudades....como dizia o cara da Praça é Nossa tocando seu velho tambor.."Tempo bom não voltam mais, saudades de outros tempos mais..."

Renato F.C. disse...

É menina, eu também vi... E pensar que nessa época, nos idos dos 80´s eu tinha medo do Kiss... hahahahahaha... :-p

Ah, e excelente post, muito bem escrito, com um homro muito legal !

Beijo, abraço, tudo de bom, felicidades e até mais.

Vagabundo Social disse...

É, por vezes penso nessas coisas... Por exemplo, quando me lembro de que o meu avô nasceu em 1930, acho engraçado que ele tenha sido contemporâneo de pessoas como Fernando Pessoa, Freud, Einstein, entre muitos outros ilustres... Eu por exemplo posso dizer que fui contemporâneo também do Freddie, do Kurt Cobain... Etc, o problema é que ser contemporâneo é fácil... Muitas vezes existimos ao mesmo tempo que essas pessoas mas nunca tivemos oportunidade de as ver ao vivo ou vê-las em directo na televisão... Por exemlpo, infelizmente, já não vivi ao mesmo tempo que o John Lennon. Todos nós coexistimos ainda com o Paul MacCartney e o Ringo Star... Uma das coisas de que me orgulho um pouco é de ainda ter acompanhado um pedaço da carreira de Maradona que foi considerado por muitos o melhor jogador de sempre, embora também Pelé o possa ter sido... Olhe, achei seu post interessante, mas aquilo que me chamou mais a atenção foi o título deste post... "Meninos, eu vi!" Me faz lembrar uma telenovela brasileira que eu via aqui em Portugal quando era pequeno, em que um senhor gordinho dizia essa frase para um microfone... Provavelmente você baseou esse título nessa mesma novela, ou estarei enganado? Beijos