terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Boiadas sociais e seus comportamentos

...






Você costuma almoçar sozinho de vez em quando, caro amigo-leitor?
Caso negativo, te digo que perde muito.

Outro dia fiquei conversando sozinha, em silêncio, observando o comportamentos a minha volta. Coisas que você só consegue fazer acompanhada de você.

Porque estudar os espécimes que saem dos seus escritórios entre meio-dia e duas da tarde para executar seu ciclo alimentar, é algo grandioso.

Ah sim. É grandioso ver a boiada andando na rua, compassados e com camisa por dentro da calça. É a moda Excel, quase nerd, quase yupi, pós-pochete.

As mulheres? Pelas ruas do Brooklin (bairro pseudo-perto de alguma coisa aqui de São Paulo) 90% está com aquele uniforme "Eu-faço-faturamento" (saltinho, calça-social e camisete). Tirando uma ou outra doida que usa saltão e calça extra justa me-tirem-daqui.

Todo mundo sai em bando para almoçar. Eu mesmo já me peguei em grupinhos na hora do almoço. É meio deprimente olhar o povo se expremendo na calçada, só para não se perder da boiada.

Mas unitários, esses indivíduos se comportam de maneira esquisita: quando entram no elevador é aquele silêncio tétrico. No banheiro então, todo mundo entra de cabeça baixa.

Pensava isso enquanto comia uma gelatina colorida, como uma brincadeira de filho único no restaurante.

Os comportamentos socialmente corretos deixam todo mundo fantasiado de gente normal - que na verdade ninguém é.

Ai. Que medo.

6 comentários:

Tiago disse...

O vida besta porque sempre temos que seguir modelos!!!
Estou cansado de ter que me enquadrar em um grupo específico me acho muito eclético pra isso!!!!
Acho ótimo olhar o comportamento das pessoas e sou tentado até a me observar(queria ver como sou em público sem saber que estou sendo filmado) acho que daria boas risadas!!!
Ótimo texto Vivi

Rodrigo disse...

Ê ôô vida de gado... É uma merda, mas o comportamento de um grupo de trabalho de escritório tende para o neutro mesmo... Na Paulista não é muito diferente, vc bem o sabe né Vivi?? Também me dou portunidades de estar sozinho na hora do almoço para quebrar o padrão e pensar ou fazer aquilo que o grupo geralmente não te permite. Ler um pouco do seu livro atual sentado sozinho nos canteiros da paulista, por exemplo, é muito bom!!

Carol Gonçalves disse...

Eu gostava de almoçar sozinha, adorava ficar vendo o povo se movimentando! rs.
Mas tb gostava de ir em turma, embora tivesse sempre aquele bobão que faz vc tropeçar ou que esconde o seu cartão de alimentação.
O que eu mais detestava era qdo ficava por último para pegar a comida, os outros sentavam e eu ficava como boba procurando! rs
Quer situação mais besta? Enquanto os seus companheiros ficam na mesa rindo da sua cara e te chamando de cega...
Bolas... Sozinho é mais divertido concluo!
Parabéns pelo ótimo texto, como sempre!

Maria Carolina disse...

Nunca gostei de fazer nada sozinha.Fico deprimida quando tenho que almoçar sozinha, tanto que quando me vejo nesta situação eu nem almoço. Como você(s), também adoro observar o comportamento dos outros, mas gosto de ter um colega ou amigo à mesa para comentar sobre aquele casal esquisito da mesa ao lado que não pára de brigar...

Muta disse...

ah vivi, vivi...

eu não quero ser gado, nao tenho vocaçã para isso! eu preciso de coisas frescas e novas o tempo todo para sobreviver a rotina me mata, me enlouquece! viola a minha alma...

tomara que eu tenha a mesma força que vc teve para abandonar a senzala quando a hora chegar. vc não faz idéia de como têm acabado comigo...

mas pelo menos tive tempo para saber do show dos mutantes e sai do trabalho (em diadema, nada feriado pra mim, hehe) e voei pra lá...

beijo e chega de encarar padrões de gado!

Muta disse...

ruiva (tá, mesmo não mais ruiva, eu ainda vou te chamar de ruiva, hahaha), acabei escrevendo um texto instigado pelo seu, por tanto que ando me sentindo sufocado...

depois de uma olhada lá no idéias!

beijo